7 passos para diminuir o seu risco de doença cardíaca

7 passos para diminuir o seu risco de doença cardíaca

É possível dar uma boa notícia quando falamos de uma das principais causas de morte na atualidade? Felizmente, a resposta é sim!

Embora a doença cardíaca seja um dos principais fatores de mortalidade no país, ela pode ser evitada com algumas mudanças de rotina, proporcionando uma vida mais longa e saudável.

Portanto, se você quer saber como driblar este mal e garantir sua saúde, disposição e qualidade de vida, acompanhe o nosso post: vamos falar um pouco mais sobre este problema e mostrar a você como evitá-lo.

Vamos começar?

Sintomas e efeitos da doença cardíaca

As doenças cardíacas ou cardiovasculares são aquelas que afetam o coração e os vasos sanguíneos. Como esses órgãos são responsáveis pelo transporte de sangue pelo organismo, quando eles sofrem com algum problema surgem complicações em todo o corpo.

Entre os problemas mais severos, podemos destacar:

  • infarto agudo do miocárdio: obstrução da artéria que causa falta de sangue e oxigênio no músculo cardíaco. O paciente sente dores no peito, falta de ar, mal-estar e sudorese. É necessário buscar ajuda imediatamente;
  • acidente vascular cerebral (AVC): desta vez, a obstrução acontece em um vaso cerebral e pode causar sérias lesões neurológicas. Dor de cabeça, tontura, paralisia de um braço, perna ou face estão entre os principais sintomas;
  • doença vascular periférica: o depósito de placas de gordura afeta artérias próximas às extremidades, como membros inferiores. O fluxo de sangue para as pernas é reduzido, causando dores, dificuldade para caminhar, queda na temperatura local e dormência;
  • hipertensão: acontece quando as artérias ficam entupidas ou se tornam menos flexíveis, dificultando a circulação do sangue através do corpo.

As consequências são sérias e podem causar desde dormência e lesões neurológicas graves — perda da fala, dos movimentos, etc — até a morte.

Por isso, rever hábitos, cuidar do corpo e monitorar a saúde são uma prioridade. Essa precaução pode evitar que essas doenças apareçam, causando uma série de transtornos e comprometendo até mesmo a sobrevivência.

Vamos conhecer esses cuidados e se preparar para driblar a doença cardíaca? Veja os 7 passos que selecionamos para garantir a saúde do seu coração:

7 passos para evitar a doença cardíaca

Conheça seus fatores de risco

Quando você vai ao médico e ele faz diversas perguntas sobre o histórico de saúde familiar e seus hábitos, isso tem um motivo: identificar fatores de risco para doenças, inclusive as cardíacas.

Portanto, não deixe de fazer esse acompanhamento. O médico vai ajudá-lo a descobrir se você tem uma propensão genética para esses problemas ou o quanto seus hábitos podem torná-lo susceptível à doença cardiovascular.

Uma pessoa não tem muita escolha quanto à sua carga genética e predisposição a doenças. No entanto, o controle de outros fatores de risco como a pressão alta, colesterol elevado, fumo e alcoolismo, excesso de peso, diabetes e sedentarismo só dependem das nossas próprias atitudes.

Monitore indicadores de risco

Entre os fatores que precisam ser monitorados com regularidade estão a pressão arterial e os índices de colesterol. É importante fazer exames de sangue com frequência, pois o colesterol no sangue não causa nenhum sintoma, mas aumenta o risco para sérias ocorrências, como infarto e AVC.

Também é importante medir a pressão arterial. Quando ela é mais alta que o normal (hipertensão), também eleva o risco de incidentes cardiovasculares. A partir da consulta, o médico irá orientá-lo quanto à frequência com que esse fator deve ser monitorado, de acordo com as suas condições de saúde.

Elimine hábitos nocivos

Entre os fatores mais prejudiciais à saúde do coração estão o tabagismo e o alcoolismo.

O tabaco e outros produtos químicos presentes no cigarro podem danificar o coração e os vasos sanguíneos, causando a aterosclerose (estreitamento das artérias), o que dificulta a circulação do sangue.

Além disso, a fumaça do cigarro faz com que os glóbulos vermelhos, que levam oxigênio às nossas células, sejam sobrecarregados com monóxido de carbono. Para que o corpo receba o oxigênio necessário, o coração precisa bombear muito mais sangue, desgastando-o com o trabalho excessivo.

O consumo de álcool, principalmente a longo prazo, é outro fator agravante. Ele causa hipertensão, AVC, insuficiência cardíaca e infarto, e por isso deve ser evitado.

Cuide de sua alimentação

Uma alimentação saudável como um todo contribui para a saúde do coração. Como uma das formas de prevenir essas doenças é evitar o acúmulo de placas de gordura nas artérias, trocar as carnes e alimentos muito gordurosos por alternativas mais leves é muito importante.

Um cardápio rico em vegetais e versões integrais dos cereais (arroz, aveia, trigo) pode ser o seu principal aliado na manutenção da saúde do coração.

Além disso, alguns alimentos podem diminuir o risco de doenças cardíacas. Entre eles estão as gorduras saudáveis como azeite, frutas secas (amêndoas, nozes, castanhas), chocolate amargo, alho, cebola, banana, couve e feijão.

Dê adeus ao sedentarismo

Definitivamente, sedentarismo e saúde do coração não combinam. Por isso, movimente o seu dia a dia com a prática de exercícios e coloque um pouco mais de ação em sua rotina.

Nada de passar o dia inteiro sentado à mesa do escritório: sempre que possível, levante-se e caminhe. Troque o elevador pelas escadas e aproveite a hora do almoço para dar uma volta no quarteirão.

Além disso, comece a praticar algum tipo de atividade física. O ideal é fazer isso de 3 a 4 vezes por semana, completando pelo menos 3 horas de treino semanais. Você pode escolher a atividade que mais gosta, mas é importante aumentar a frequência cardíaca durante o exercício.

Lembre-se sempre de consultar um médico antes de iniciar a prática. Ele avaliará suas condições físicas, prescreverá as melhores alternativas para promover a sua saúde e o orientará quanto a cuidados que precisa tomar.

Mantenha-se no peso ideal

Além de sobrecarregar o coração, o excesso de peso está frequentemente associado a alguns fatores de risco, como a pressão arterial elevada, colesterol alto e diabetes. Muitas vezes, o sobrepeso também é um indicador de sedentarismo.

Respeite os limites do corpo

Nosso corpo precisa de atividade, mas também de descanso. Por isso, é necessário garantir um mínimo de sete a oito horas de sono por noite, preferencialmente mantendo um horário regular.

Outro fator que precisa ser gerenciado é o estresse. Quando se torna constante, ele provoca uma aceleração dos batimentos cardíacos e o enrijecimento das artérias, o que reduz o fluxo de sangue, trazendo graves consequências ao organismo.

A doença cardíaca é um assunto sério, mas com alguns cuidados simples e mudanças no estilo de vida é possível promover a saúde desse sistema, garantindo longevidade e saúde por muitos e anos.

Viu como cuidar do coração e evitar a doença cardíaca é mais simples do que parece? Então que tal divulgar essas informações para que seus amigos também saibam como se cuidar? Compartilhe esse post em suas redes sociais e alerte seus contatos sobre a importância da prevenção!


Also published on Medium.

Share This