Gorduras e carboidratos: quem tem impacto mais negativo em uma dieta?

out 26, 2017

Quem busca levar uma vida com mais saúde sabe a importância de ter uma dieta balanceada e rica em nutrientes. Porém, distribuir bem as porções de cada macronutriente necessário para ter energia pode ser um desafio e tanto, e é normal que surjam dúvidas sobre as quantias certas de gorduras e carboidratos em um cardápio.

Atualmente, existem diversas correntes afirmando que o melhor mesmo é cortar o máximo possível de carboidratos da dieta e focar em proteínas e gorduras. Já outros sugerem que é necessário manter os carboidratos, já que é um macronutriente.

Hoje, vamos apresentar aqui os principais argumentos sobre o assunto e mostrar como decidir qual é o melhor cardápio para você. Confira!

Qual o efeito dos carboidratos no corpo?

Quando consumimos carboidratos, principalmente os simples, eles estimulam a produção de insulina, que é o hormônio que ajuda o corpo a absorver o açúcar. Os carboidratos, que vêm de alimentos como arroz, macarrão, pão, alguns vegetais como batata e quase tudo o que leva farinha e amido, se tornam glicose dentro do organismo.

Em outras palavras, muitas vezes, comer um pão é o equivalente a comer açúcar puro. Com o tempo, o alto consumo de carboidratos simples pode levar à resistência à insulina. Ou seja, há o risco de se desenvolver diabetes do tipo 2.

Além disso, os carboidratos são conhecidos por causar picos de energia rapidamente que também desaparecem na mesma velocidade. Em geral, essa super energia é seguida de um cansaço profundo e sono, o que leva a pessoa a comer mais.

Por isso, é recomendado por nutricionistas o consumo de carboidratos complexos, que demoram mais tempo para serem digeridos e transformados em energia. E, se não for possível cortar, consumir com moderação os alimentos com carboidratos simples.

Quando consumimos tanta energia de uma vez, nem sempre o nosso metabolismo consegue queimá-la. Isso quer dizer que passamos a acumular energia, ou seja, gordura! Isso pode levar a problemas clínicos como colesterol alto, obesidade e sobrecarga do fígado.

Qual o efeito das gorduras no corpo?

As gorduras, por muito tempo, foram vistas como vilãs da saúde. As gorduras saturadas, vindas de proteínas, queijos e ovos eram consideradas culpadas por infartos e altas taxas de colesterol. No entanto, após diversos estudos, alguns cientistas chegaram à conclusão de que o problema, na realidade, é a combinação de gorduras e carboidratos em grandes quantidades.

Ou seja, uma dieta rica em gorduras, mas pobre em carboidratos na realidade faz bem! O problema é combinar grandes quantidades dos dois nutrientes. Quando ingerimos proteínas e laticínios, por exemplo, o nosso corpo passa um longo tempo quebrando as moléculas para transformar em energia.

Por isso, nos sentimos saciados por muito mais tempo quando consumimos alimentos ricos em gorduras e com baixa taxa de carboidratos. Além disso, o nosso corpo trabalha mais para absorver esses nutrientes. Isso significa que o metabolismo acelera, já que estamos gastando energia nesse processo.

Se o organismo não está sobrecarregado processando carboidratos e glicoses, o fígado tem mais tempo para metabolizar adequadamente as gorduras. Portanto, nesses tipos de dieta, dificilmente as altas taxas de gordura se transformam em colesterol alto no sangue ou entupimento de artérias. Tudo é digerido e absorvido e não há excedente de gordura no organismo ao final.

Como é a dieta Low carb?

Baseado nos efeitos das gorduras e carboidratos no corpo, surgiu a dieta low carb. Do inglês, quer dizer baixo carboidrato. Ou seja, é uma dieta rica em gorduras e que propõe eliminar alimentos como o arroz, pão, farinhas, macarrão e massas, legumes com muito amido e outros.

Esse tipo de alimentação é a preferida de pessoas que desejam perder peso rapidamente, tendo vários tipos e métodos, como o Dukan, que propõe o corte total e depois reinserção dos carboidratos.

Para pessoas mais radicais, existe a dieta cetogênica, que corta totalmente os carboidratos e a Low Carb High Fat, que aumenta consideravelmente os níveis de gordura. É importante lembrar que, antes de iniciar qualquer dieta, é importante buscar um bom nutricionista e realizar exames que comprovem a necessidade de mudanças alimentares.

Porém, se o objetivo for ter uma vida mais saudável, é possível aplicar alguns princípios da low carb sem prejudicar a saúde:

  • eliminar todos os alimentos processados, como farinhas (trigo, milho, mandioca), achocolatados, açúcar, bolinhos, macarrão e massas, refrigerantes, etc;
  • preferir sempre alimentos frescos que sejam preparados na hora;
  • eliminar bebidas açucaradas, incluindo sucos. Preferir sempre chás, água e café (com moderação);
  • reduzir a quantidade de carboidratos e dar preferência aos integrais;
  • conhecer os alimentos que está consumindo, sempre dando preferência aos naturais e entendendo que a gordura animal ou saturada é também um nutriente.

Dessa forma, a gordura não é vista como um problema, mas como uma forma de nutrir e saciar a fome. O principal argumento é que, quando se consome comida fresca (verduras, carnes, legumes, e mesmo grãos), eliminamos grande parte dos carboidratos automaticamente. Ou seja, não é uma dieta, mas um estilo de vida e princípio alimentar.

Nesse tipo de alimentação é permitido também o consumo moderado de oleaginosas como nozes e castanhas, além do feijão, grão-de-bico, amendoim e outros grãos ricos em proteínas.

Como equilibrar gorduras e carboidratos na dieta?

Embora os benefícios de uma dieta low carb sejam imediatos (emagrecimento e mais disposição), o recomendado é sempre buscar o auxílio de um bom nutricionista antes de realizar qualquer mudança na alimentação. Somente um profissional capacitado pode mostrar quais são suas necessidades nutricionais e indicar o melhor cardápio para a sua saúde.

Além disso, não é recomendado que se retire totalmente os carboidratos da alimentação. Afinal, ainda precisamos da energia rápida que eles proporcionam. A própria dieta low carb não os retira, apenas reduz. Eles devem vir de fontes complexas (ou seja, alimentos integrais) e devem ser consumidos com moderação.

A busca por uma alimentação saudável é um passo essencial para manter a qualidade de vida e saúde sempre em alta. Um corpo bem cuidado fica menos doente e beneficia física e psicologicamente.

Porém, mais importante que isso, é sempre buscar informações em fontes confiáveis e ter um bom acompanhamento médico multidisciplinar, realizando exames periódicos e tirando as dúvidas diretamente com quem entende sobre você. Afinal, cada corpo é único e cada pessoa tem sua própria história.

Gostou de saber mais sobre as gorduras e carboidratos? Então curta nossa página no Facebook e fique por dentro de outras informações sobre alimentação saudável, esportes e qualidade de vida!

Tabelas atualizadas dos principais planos de saúde: planos individuais, empresariais, para gestantes, para crianças, para familiares e para idosos.

final de ano black - amigao saude - 2018Powered by Rock Convert