Tire suas dúvidas sobre calendário de vacinação

Tire suas dúvidas sobre calendário de vacinação

O calendário de vacinação é um guia indispensável para todos. Nele, estão listadas as vacinas que devem ser tomadas ao longo da vida: para cada fase, existe um calendário específico, que contém os diferentes tipos de imunização importantes naquele ciclo.

É fundamental que as pessoas estejam sempre atentas a esse guia para acompanhar as campanhas de vacinação e evitar a contração de doenças graves. Afinal, muitos desses males trazem grandes impactos para a saúde e a qualidade de vida, mas podem ser prevenidos por meio da vacina.

Apesar da importância desse guia, muitas pessoas ainda se esquecem de conferir ou acabam se confundindo com o calendário de vacinação, deixando de tomar todas as vacinas necessárias e tornando-se vulneráveis às doenças.

Para que isso não aconteça com você, reunimos aqui algumas informações valiosas a respeito desse guia de imunização. Vamos conferir?

Calendário de vacinação infantil

O calendário de vacinação infantil é o guia de imunizações indicado para as crianças com idade entre 0 e 9 anos. Pertencem a esse guia as seguintes vacinas:

BCG

Protege contra a tuberculose, doença bacteriana que provoca manifestações graves — tuberculose miliar e meningite tuberculosa — e, na maioria das vezes, fatais.

Segundo o calendário infantil, essa vacina deve ser administrada em uma dose única, logo ao nascimento. Caso não seja feita a imunização nessa época, ela deve ser tomada até os 5 anos de idade.

A vacina deixa uma cicatriz no local de aplicação, geralmente no braço direito, indicando que houve resposta do corpo. Ela pode ser encontrada em qualquer posto de saúde público.

Hepatite B

Protege contra o vírus da hepatite B, causador de uma infecção grave no fígado, principalmente a sua forma crônica. O Programa Nacional de Imunização (PNI) recomenda que seja administrada uma dose isolada ao nascimento — primeiras 12 a 24 horas — e, posteriormente, outras três no 2º, 4º e 6º meses de idade.

Essa vacina pode ser encontrada na rede pública ou privada de saúde, sendo que o esquema de doses e a apresentação da vacina varia entre as duas redes.

Pentavalente

Oferece imunidade contra 5 doenças: difteria, coqueluche, tétano, hepatite B e Haemophilus influenzae B — bactéria que pode causar pneumonia, meningite e outros problemas respiratórios. Ela é aplicada em três doses no 2º, 4º e 6º meses, sendo feito dois reforços: um no 15º mês e outro aos 4 anos de idade.

Poliomielite

Como o nome já indica, essa vacina previne a poliomielite, doença neurológica gravíssima e popularmente conhecida como paralisia infantil. O esquema de administração é semelhante aquele da pentavalente, sendo aplicadas doses no 2º, 4º e 6º meses de idade, com reforços no 15º mês e outro aos 4 anos.

As três primeiras doses são aplicadas na forma de gotinhas orais, que contêm o vírus atenuado. Já o reforço é feito com a apresentação injetável, na qual o vírus se encontra inativo.

Outras vacinas

Além das imunizações já relacionadas, o calendário infantil também preconiza a administração das seguintes vacinas:

  • pneumocócica: previne contra 10 tipos de bactérias causadoras de pneumonia, meningite e otite, sendo administrada no 2º e 4º meses, com reforço no primeiro ano de vida;
  • rotavírus humano: oferece proteção contra o vírus causador de uma grave gastroenterite, que provoca diarreia e vômito. Deve ser administrada no 2º e 4º meses de idade;
  • meningocócica C: previne a infecção por uma bactéria que provoca meningite, sendo aplicada no 3º e 5º meses, com reforço no primeiro ano de vida;
  • febre amarela: dose única no 9º mês de idade;
  • hepatite A: também aplicada em dose única, mas no 15º mês após o nascimento;
  • tríplice viral: protege contra sarampo, caxumba e rubéola, sendo a primeira dose aplicada com 1 ano e as outras na fase adulta;
  • tetra viral: previne sarampo, caxumba, rubéola e catapora, administrada em uma única dose aos 15 meses de idade.

Calendário de vacinação da adolescência

Esse é o guia de imunização recomendado para adolescentes que se enquadram na faixa etária entre 10 e 19 anos. Pertencem a esse calendário as vacinas:

  • hepatite B: indicada para adolescentes que não foram vacinados durante a infância. Nesse caso, devem ser administradas o mais precocemente possível e na forma de três doses, com intervalo de 0, 1 e 6 meses entre elas;
  • meningocócica: duas doses para aqueles que não foram vacinados na infância; dose de reforço aos 11 anos para os que foram anteriormente imunizados;
  • febre amarela: administrada em dose única para adolescentes não vacinados ou sem comprovante de vacinação.
  • dupla adulto: oferece proteção contra a difteria e o tétano. É administrada aos 14 anos de idade, devendo ser reforçada a cada 10 anos.

Também deve ser feita a imunização de meninos e meninas contra o vírus HPV, sendo que o esquema e o tipo de vacina variam de acordo com a idade e o sexo biológico.

Calendário de vacinação de adultos

Esse calendário contém as vacinas que devem ser tomadas por pessoas com idade entre 20 e 50 anos. São elas:

  • hepatite B: indicada para adultos que não foram anteriormente imunizados. A administração deve ser feita em três doses, da mesma forma que é recomendado para os adolescentes;
  • febre amarela: dose única para aqueles que não foram vacinados ou que estejam sem comprovante de vacinação;
  • tríplice viral: duas doses para adultos com idade entre 20 e 29 anos e uma dose para aqueles com 30 a 49 anos;

A cada dez anos, também devem ser feitos os reforços da vacina duplo adulto, cuja primeira administração foi realizada na adolescência.

Calendário de vacinação de idosos

Esse calendário é indicado para a imunização de pessoas com idade superior a 60 anos. Pertencem a esse guia as seguintes vacinas:

  • hepatite B: indicada para os idosos que não foram anteriormente vacinados. A administração deve ser feita em três doses, da mesma forma que é recomendado para os adolescentes e adultos;
  • febre amarela: dose única para aqueles que não foram vacinados ou que estejam sem comprovante de vacinação.

Também devem ser feitos os reforços da duplo adulto, cuja primeira dose foi administrada na adolescência.

Além dessas, é recomendado que haja a imunização contra a gripe ou influenza, visto que esse grupo de pessoas é mais susceptível às complicações e ao óbito por essa doença. Tal vacina que deve ser administrada anualmente em dose única.

Calendário de vacinação de gestantes

Existe um calendário especial para as mulheres gestantes. Durante as consultas do pré-natal, o obstetra irá recomendar as vacinas que ela deve tomar de acordo com seu histórico de imunização e a sua condição clínica.

A vacinação nessa fase da vida protege não somente a mulher, mas também a criança que está sendo gerada, evitando a transmissão de infecções da mãe para o filho. O PNI recomenda as seguintes vacinas:

  • hepatite B: para as gestantes que não foram anteriormente vacinadas;
  • dupla adulto: o esquema de doses é indicado de acordo com histórico vacinal de cada gestante;
  • DTPA: protege contra difteria, coqueluche e tétano. Deve ser tomada uma dose a cada gestação, a partir da 20ª semana de gravidez.

Viu só como o calendário de vacinação é extremamente importante para prevenir contra várias doenças graves? Então fique atento para proteger a sua saúde e a da sua família: siga nossa página no Facebook e não perca nenhuma novidade sobre as próximas campanhas!


Also published on Medium.

Share This